Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Reticências...

à descoberta do nosso mundo

Dom | 11.02.18

" Queres ser médico,engenheiro ou advogado? " - A Sociedade e as profissões

post.jpg

 

Hoje venho aqui falar de um assunto que tenho pensado particularmente nos últimos dias. 

Quantas vezes já perguntaram a uma criança o que ela queria ser "quando fosse grande" e, a cada semana,recebiam uma resposta diferente?

Quero ser bombeiro!

Quero ser veterinária!

Quero ser cantor!

Quero ser atriz!

 

 

Numa altura onde muitas das realidades do mundo ainda estão ocultas,as possibilidades de profissão parecem infinitas. No entanto,à medida que se cresce,o caso muda de figura.

- Então,já sabes que curso vais tirar?

- Ai,olha,sabes que eu adoro design não é? Então vou tirar design gráfico para o Porto!

 

Seria de esperar que a resposta fosse,mais ou menos,assim:

- Design gráfico? Wow,é uma profissão muito concorrida,mas com trabalho,dedicação e um pouco de sorte consegues!

 

No entanto,isto acontece:

Design gráfico? O que não falta para aí são pessoas que tiraram esse curso e que estão sem trabalho! Tu tens de ver bem o que queres,escolhe uma profissão que te dê dinheiro no futuro!

 

Oi? Perceberam o erro? "Tu tens de ver bem O QUE QUERES,ESCOLHE UMA PROFISSÃO QUE TE DÊ DINHEIRO NO FUTURO!"

Então mas...Não era para escolher algo que quisessemos?

Mesmo numa geração onde a mentalidade sobre o trabalho está em transição,o fator dinheiro ainda tem um peso enorme no toca ao escolher o que queremos ser de futuro.

De acordo com uma sociedade em que os fatores segurança e dinheiro - não me interpretem mal,é óbvio que isso é muito importante,mas vamos a ter calma - parecem ser o valor mais alto,certas profissões,especialmente as relacionadas com arte,são menosprezadas.

Parece que só é aceitável uma das 3 opções: Médico,engenheiro ou advogado.

Queres ser professor? "Ah e tal,não vais ser colocado,vais ficar no desemprego";

Queres ser biomédico? " O que é isso? Ninguém precisa deles,médicos e enfermeiros chegam".

Queres ser farmacêutico? " Ah e tal,não deve de ter tido média para entrar na faculdade de medicina"

Queres ser fotógrafo? " Deve de achar que vai ter um futuro numa coisa que é considerada um hobby por maior parte das pessoas. Afinal,toda a gente sabe carregar num botão,não é?"

Queres ser engenheiro biológico? " Olha,vais ver,acaba de tirar o curso e vai trabalhar para uma fábrica"

 

Num portugal onde até alguns médicos são obrigados a escolher a sua especialidade não de acordo com o que gostam,mas sim pelo que É NECESSÁRIO OU NÃO,o que seria de esperar?

 

E assim se diminuem esperanças e sonhos de uma população.

 

Por isto,e por muitas outras coisas,estamos perante uma época de transição. O significado há muito vincado na palavra PROFISSÃO está em evolução. A  PROFISSÃO começa a contar agora com novas características: é algo que te deixa feliz e te permite partilhar o que há de melhor em ti com o mundo ao exercê-la. É uma coisa que farás com prazer durante mais de 50 anos. Já não é apenas uma turbina de dinheiro e segurança que te permite viver. 

Há uns dias li um comentário que dizia:

Passion is not possible in capitalism.

Ou,em português:

A Paixão não é possível no capitalismo.

É isto que estamos a lutar para mudar.

______

E vocês,qual é a vossa opinião sobre este assunto?